Ação de combate à adulteração de combustíveis em Campinas termina com dois detidos e quatro postos autuados

Ação de combate à adulteração de combustíveis em Campinas termina com dois detidos e quatro postos autuados

Duas pessoas foram detidas e quatro postos de combustíveis foram autuados em Campinas (SP), na tarde desta quinta-feira (23), durante uma ação de combate à adulteração e fraude em bombas realizada por policiais da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) da cidade, em conjunto com os agentes da Agência Nacional do Petróleo (ANP) e do Instituto de Pesos e Medidas (Ipem).

Após denúncia, os policiais civis foram até um barracão no Jardim do Vovô, onde abasteceram um carro descaracterizado com óleo diesel. O local tinha uma bomba e tanques com capacidade para 20 mil litros de combustível, e durante os trabalhos foram encontrados 500 litros do material.
Dois suspeitos que estavam no local foram levados para a delegacia. “Havia um código para adentrar ao local que seria dar duas buzinadas e os portões abriam, já que ele [posto clandestino] trabalhava com portões fechados. Não tinha alvará de funcionamento, foi constatado inclusive fraude na bomba e também crime ambiental, uma vez que a instalação do equipamento não seguia exigências da lei ambiental “, explicou o delegado José Carlos Fernandes.

Quem abastecia no posto pagava até R$ 0,30 a menos que o valor comercializado em postos regulares. Segundo fiscais do Ipem, a cada 20 litros de combustível, 300 ml não iam para os veículos. “Hoje a legislação permite que no máximo, a cada 20 litros, possam até 100 ml faltar nesse abastecimento”, ressaltou o delegado regional, Rogério Nogueira da Silva.

De acordo com Miguel Camacho, especialista em regulação da ANP, a procedência do combustível apreendido será investigada. “Ele [suspeito] apresentou para nós pelo menos três notas fiscais provenientes de uma distribuidora, mas é uma nota em que o destinatário não é o local onde apuramos o fato. Houve um desvio ou a nota foi emprestada, isso será apurado pela DIG.”
À EPTV, afiliada da TV Globo, a DIG destacou que manterá investigações sobre possíveis práticas dos crimes de sonegação fiscal, adulteração de bomba e desvio de combustível.

Fonte: G1

No Comments

Post A Comment