Castello Branco defende fim da partilha e flexibilização do regime trabalhista

Castello Branco defende fim da partilha e flexibilização do regime trabalhista

O presidente da Petrobrás, Roberto Castello Branco defendeu o fim do regime de partilha para a exploração e produção e a flexibilização do regime trabalhista para os funcionários da empresa.

“Somos 100% favoráveis ao fim do regime de partilha. Somos profundamente críticos ao regime de partilha e desejamos que ele seja eliminado”, afirmou durante evento on-line.

O executivo disse que o atual marco regulatório do setor “é muito ruim”, mas que tem confiança de que o governo revisará as regras.

Castello Branco também saiu em defesa da flexibilização do regime trabalhista, ao comentar que a folha de pagamento da companhia, da ordem de R$ 22 bilhões por ano, “é pesada”.

“Empresas com economia mista listadas em bolsa, como a Petrobrás, deviam ter regras trabalhistas mais flexíveis do que a aplicadas às demais estatais”, afirmou. “Se fizermos uma comparação com outras empresas de petróleo e até mesmo a Equinor, que é controlada pelo Estado norueguês, todos os índices de custo de pessoal são muito desfavoráveis à Petrobras”, completou.

O executivo comentou, ainda, sobre o atual cenário de incertezas do mercado de petróleo. Ele destacou que os sinais de recuperação da economia global ainda são “tênues”. Castello Branco acredita que a retomada da economia global será lenta e que o patamar de consumo pode não voltar aos patamares anteriores.

“Acreditamos, sim, na recuperação da economia global e do Brasil, mas muito lentamente, até chegar a um patamar que pode ser até que, em termos de tendência de longo prazo, seja inferior ao que tínhamos visto até o ano passado”, afirmou.

Fonte: SindiPetro-LP

No Comments

Post A Comment