Entidade defende importação de biodiesel após redução da mistura

Entidade defende importação de biodiesel após redução da mistura

Para o Instituto Brasileiro de Petróleo e Gás (IBP) o abastecimento, a preços competitivos, do mercado brasileiro de combustíveis é uma prioridade máxima, sempre dentro de uma visão estratégica e sistêmica que contempla sua complexa dinâmica e a relação entre os diversos agentes econômicos. “Apoiamos a presença dos biocombustíveis na matriz brasileira e entendemos que o biodiesel é um elemento muito importante por sua estreita ligação com a atividade econômica do país”, disse o IBP, em nota.

A entidade diz que no leilão L76, realizado esta semana, mantiveram-se algumas assimetrias no modelo de aquisição de biodiesel. Para o IBP, “é inegável que existe um desequilíbrio entre a oferta e a demanda, que precisa ser resolvido no curto prazo, diminuindo o percentual de mistura obrigatória e permitindo a importação, sob pena de comprometer a segurança do abastecimento nacional e os interesses do consumidor”.

O IBP entende que há espaço para se repensar o formato atual dos leilões, garantindo maior liberdade de comercialização entre os agentes e possibilitando que o mercado regule oferta e demanda, bem como revendo outros aspectos tributários e regulatórios, inclusive considerando o futuro cenário de desinvestimento da Petrobras em refino e entrada de novos agentes.

Outros formatos de comercialização de biodiesel mais aderentes ao novo contexto do downstream; a adoção de um mercado aberto, a exemplo do que já ocorre com o etanol; e o estímulo à adoção de novos processos produtivos e tecnologias, como o diesel verde, são opções que precisam ser colocadas na mesa, para que os agentes da cadeia de valor possam ter mais liberdade de escolha.

Fonte: Canal Rural

No Comments

Post A Comment