Estatal planeja aumento de vendas de ativos e PDV

Estatal planeja aumento de vendas de ativos e PDV

Em comunicado divulgado ontem à noite, a Petrobrás informou a aprovação do que chamou de “Plano de Resiliência”, com ações adicionais ao Plano de Negócios e Gestão (PNG) para o período 2019-2023. De acordo com a companhia, o plano está baseado em três pilares para geração de valor.

O primeiro deles é a ampliação do programa de desinvestimentos: a estatal prevê a inclusão de mais campos maduros de petróleo e gás localizados em terra e águas rasas, além de ativos de refino e logística. Segundo a companhia, esse novo plano não contempla ainda a revisão do pacote de venda de refinarias, que ainda está em estudo.

“Os desinvestimentos de ativos em que não somos donos naturais contribuem para melhorar a alocação do capital aumentando consequentemente a geração de valor. Simultaneamente, viabilizam a redução do endividamento e do custo de capital”, afirmou a Petrobrás no comunicado.

O segundo pilar do plano diz respeito aos gastos operacionais gerenciáveis, que a companhia pretende diminuir em US$ 8,1 bilhões, um acréscimo de 6,6% ao valor de US$ 122,6 bilhões previstos no PNG. A Petrobrás cita cortes de gastos com pessoal – com anúncio de programa de demissão voluntária – e de despesas discricionárias, como publicidade e patrocínios, além de otimização do uso de prédios administrativos.

Por fim, a estatal afirma que está trabalhando também para liberar o excesso de capital que consta nas disponibilidades de caixa, realocando os recursos para usos mais produtivos.

A companhia ressalta que não há previsão de mudanças no programa de investimentos aprovado no PNG 2019-2023. O cronograma referente aos novos sistemas de produção de óleo e gás está mantido, com exceção de Búzios 5, “que terá início de operação postergado de 2021 para 2022”, finaliza a petroleira.

Fonte: O Estado de S. Paulo

No Comments

Post A Comment