Importação de gasolina pela Petrobras dispara 950% e a do diesel, 548%

Importação de gasolina pela Petrobras dispara 950% e a do diesel, 548%

O crescimento das importações está no centro de um embate da Petrobras com as distribuidoras, após estatal informar que não vai fornecer uma parte dos pedidos feitos em novembro.

A importação de gasolina e óleo diesel por parte da Petrobras teve uma alta considerável no terceiro trimestre. A da gasolina disparou 950% em relação a igual período do ano passado, e a do diesel, 548,1%. A explicação está no crescimento do mercado doméstico, diz a Petrobras. O crescimento das importações está no centro do embate da Petrobras com as distribuidoras.

No início deste mês, a petrolífera estatal avisou aos seus clientes que não vai fornecer uma parcela dos pedidos feitos para novembro. Para fazer frente à toda demanda nos postos, as distribuidoras vão ter de importar por conta própria. Algumas delas não gostaram da notícia e foram reclamar à Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

A estatal sempre cumpriu o papel de importadora porque sua produção nunca foi suficiente para cobrir toda demanda brasileira. O custo costumava ser repassado aos seus clientes. Agora, no entanto, a empresa é alvo de pressões políticas e dos consumidores. Os caminhoneiros, por exemplo, ameaçam parar o País em greve por causa do preço do diesel. A solução encontrada pela estatal foi reduzir os custos, cortando importações.

Esse aumento de importação aconteceu ao mesmo tempo em que a Petrobras ampliou a produção nas suas refinarias de petróleo. No terceiro trimestre, a empresa utilizou 85% da sua capacidade de produção, mesmo porcentual de igual período de 2020 e 10 pontos porcentuais acima do que no trimestre anterior.

Em outubro, o fator de utilização já chegou a 90%. Com esse crescimento expressivo da importação, a exportação da empresa caiu 49,7% na comparação com o terceiro trimestre de 2020. As exportações totais foram de 813 mil barris por dia (queda de 17,3%) e as importações, de 415 mil barris por dia (alta de 116%). A maior parcela importada foi de diesel (175 mil barris por dia) e a exportada foi de petróleo (604 mil barris por dia).

Fonte: O Estado de S. Paulo

No Comments

Post A Comment