Petrobrás apresenta aos empregados plano de retorno presencial ao trabalho

Petrobrás apresenta aos empregados plano de retorno presencial ao trabalho

Petroleira já trabalha até mesmo com a volta de funcionários que fazem parte do grupo de risco, dizem fontes; para alguns setores, home office será mantido mesmo com o fim do isolamento

Petrobrás já começou a preparar seus funcionários para o fim da quarentena e retorno presencial ao trabalho. Em apresentações virtuais durante todo o dia, que começaram pela manhã, com gerentes, e terminaram por volta das 19h com sindicatos, a empresa divulgou um planejamento de retomada, que inclui a volta, inclusive, dos empregados inseridos no grupo de risco de morte se contaminados pelo coronavírus.

Fontes que participaram da reunião disseram ao Estadão/Broadcast que a empresa não informou uma data de suspensão do isolamento social. Teria dito apenas que vai seguir as orientações dos governos municipais e estaduais e que o processo vai ser gradativo, em quatro fases, em que a última representará um “novo normal” na companhia.

No Estado do Rio de Janeiro, onde está concentrada a maior parte da produção de petróleo e gás natural da estatal, o governador Wilson Witzel (PSC), divulgou na última sexta-feira um plano de flexibilização das regras de quarentena, com a liberação de setores do comércio e da indústria em horários específicos.

“A prática na Petrobrás é a mesma do governo federal. A gestão de Castello Branco (presidente da companhia) tem omitido dados de contaminações e mortes provocadas pela covid-19 e agora quer acabar com o isolamento social”, afirmou Deyvid Bacelar, coordenador-geral da Federação Única dos Petroleiros (FUP), para quem o anúncio da suspensão da quarentena é precipitado e causa insegurança aos trabalhadores.

Ele reclama também de os sindicatos dos empregados não terem sido convidados a participar da elaboração do plano de suspensão da quarentena.

Novas práticas

Segundo a apresentação de hoje, algumas práticas adotadas na pandemia vão ser mantidas, como o regime de teletrabalho para os funcionários da área administrativa, que, segundo orientação dos gerentes, poderão ficar até três dias por semana em casa. Esse seria um dos casos do “novo normal” da pós-pandemia.

Atualmente, a atividade presencial está reduzida ao mínimo necessário para manter as operações essenciais. Numa transição, o primeiro passo será inserir nas atividades uma equipe de preparação ao retorno. Em seguida, voltam os gestores e funcionários considerados imprescindíveis. A equipe, então será ampliada, até estar completa, inclusive com pessoas do grupo de risco

A empresa dividiu o risco de contaminação pelo coronavírus com o fim da quarentena em três bandeiras: verde, amarela e vermelha. Na primeira, é autorizado o retorno; na segunda, são adotadas medidas preventivas; e na terceira, o isolamento é mantido. Para definir as bandeiras, vai acompanhar as taxas de crescimento dos casos de contaminação nos municípios onde opera e de ocupação de leitos de UTI. Diz ainda que, internamente, acompanhará se a doença avança em suas unidades de trabalho.

Fonte: Estadão

No Comments

Post A Comment