Petrobras não bate sua meta nas vendas de refinarias vendendo apenas 1 das 5 almejadas

Petrobras não bate sua meta nas vendas de refinarias vendendo apenas 1 das 5 almejadas

A estatal brasileira Petrobras deve assinar apenas um contrato de venda de refinaria até o final do ano, em vez de cinco, como almejado inicialmente.

O atraso no processo de vendas das refinarias decorre de problemas de programação associados à pandemia Covid-19, volatilidade do mercado de petróleo e uma contestação judicial recentemente decidida em favor da Petrobras.

Apenas um acordo de venda para uma das refinarias da Petrobras

O programa de desinvestimento da refinaria foi lançado em abril de 2019 como parte de um acordo com o órgão antitruste Cade. O único acordo de venda que deverá ser assinado até o final de dezembro é para a refinaria Landulpho Alves (Rlam) de 333 mil b / d em Mataripe. A Petrobras está em negociações exclusivas com o fundo de investimento estatal de Abu Dhabi, Mubadala, para a refinaria desde julho.

Valores baixos
Em setembro, a Petrobras disse que duas licitações semelhantes para a refinaria Presidente Getulio Vargas (Repar), 208.000 b / d, exigiriam uma segunda rodada de ofertas vinculantes, possivelmente este mês. A estatal chinesa Sinopec e as distribuidoras nacionais de combustíveis Raízen e Ultrapar participaram da primeira rodada.

A Petrobras tem como meta o lançamento de ofertas vinculadas no quarto trimestre para mais três refinarias: 208.000 b / d Alberto Pasqualini (Refap) em Canoas; 115.000 b / d Abreu e Lima (Renest) em Ipojuca; e 166.000 b / d Gabriel Passos (Regap) em Betim. Ofertas para três unidades menores de refinarias estão em andamento para o primeiro semestre de 2021.

A Petrobras está vendendo outra refinaria, 39.600 b / d Refinaria Potiguar Clara Camarão (RPCC) no estado do Rio Grande do Norte, como parte de um cluster upstream fora do escopo do original Acordo de Cade.

Atrasos afetam a Petrobras
Os atrasos estão aumentando a probabilidade de o Cade conceder uma prorrogação do prazo de 2021 para o fechamento das vendas das refinarias.

A Petrobras e a agência discutiram a possibilidade de uma prorrogação nas últimas semanas, disseram executivos da empresa. O cronograma de vendas foi complicado por protocolos de segurança da saúde e a contestação da Suprema Corte iniciada em julho. No início deste mês, o tribunal rejeitou um pedido do Senado para submeter as vendas à supervisão do Congresso.

A empresa conta com a receita da venda das refinarias para reduzir o endividamento. As vendas são uma faceta importante de sua meta de desinvestimento de ativos não essenciais de US $ 20 bilhões a US $ 30 bilhões, provavelmente expandida de acordo com um plano de negócios a ser lançado em novembro.


Fonte: Click Petróleo & Gás

No Comments

Post A Comment