Preço da gasolina cai em postos do Rio Grande do Sul

Preço da gasolina cai em postos do Rio Grande do Sul

Após sofrer vários reajustes, o preço da gasolina vem tendo uma redução em alguns postos do Rio Grande do Sul. Em Porto Alegre, a variação entre estabelecimentos é alta, com uma diferença de R$ 0,23 no litro, de R$ 4,66 para R$ 4,89.

“Acho que de um mês pra cá vem baixando um pouco mesmo, vem caindo preço da gasolina”, diz o médico Marcelo Marc.

“Melhorou um pouco porque baixou, mas ainda sim é alto pra quem usa bastante”, pondera o empresário Alfrede Klotz.

Os preços são mais atrativos em algumas cidades do interior. Em Erechim, no Norte do estado, o litro custa entre R$ 4,54 e R$ 4,67. Santa Cruz do Sul tem preços ainda mais baixos, variando de R$ 4,51 a R$ 4,59.

O levantamento oficial da Agência Nacional do Petróleo (ANP) confirma a queda. Em quatro semanas, o preço médio passou de R$ 4,93 para R$ 4,85 (veja a progressão abaixo).

Para ajudar na tendência, a Petrobras anunciou uma diminuição de 3,53% no preço da gasolina vendida nas refinarias a partir desta terça-feira (27). Com isso, o preço da gasolina nas refinarias já acumula no mês uma queda de 19,42%.

O percentual, entretanto, não é repassado diretamente para o consumidor. O motivo, de acordo com o Sulpetro, sindicato que representa os postos, é que a gasolina que está nas bombas passa pelas distribuidoras antes de chegar às refinarias.

“Os preços da revenda estão ligados diretamente aos preços das distribuidoras, ou seja, se elas reduzirem, os postos, consequentemente, também repassam a redução”, diz nota enviada pela entidade.
Além das distribuidoras, o preço da gasolina vendida nas bombas ainda é composto por valores de impostos e do etanol que é misturado ao combustível.

O Sindicato das Distribuidoras de Combustíveis do Rio Grande do Sul (Sindisul) disse que não comenta preços, mas informou que o repasse da redução é visível nos postos e que o tempo de repasse depende do estoque de cada distribuidora e de cada posto.

Como é formado o preço da gasolina?
Os valores praticados pela Petrobras representam atualmente menos de um terço (27%) do preço pago pelo consumidor nos postos, conforme os cálculos da estatal, que levam em conta a coleta de preços entre os dias 11 e 17 de novembro em 13 regiões metropolitanas do país.
Cerca de 45% são tributos, sendo 30% ICMS, recolhido pelos Estados, e 15% Cide e PIS/Cofins, de competência da União.

Os tributos federais são cobrados como um valor fixo por litro – o de Pis/Cofins, por exemplo, é de R$ 0,7925 por litro de gasolina; a Cide, de R$ 0,10 por litro. O ICMS, por sua vez, é um percentual sobre o preço de venda – ou seja, cada vez que ele sobe, os Estados recolhem mais impostos.

Do restante da composição do preço final, 12% é o custo do etanol, que, por lei, deve compor 27% da gasolina comum, e outros 16% correspondem aos custos e lucro dos distribuidores e postos de gasolina. Em maio, esta última fatia era de 12%, e no final de outubro era de 14%, o que sugere um aumento nas margens de lucro destes agentes.

Fonte: G1

No Comments

Post A Comment