Pular para o conteúdo

sindtrr

(11)2914-2441

Preço de referência de petróleo vira potencial embate entre Chambriand e Haddad

O preço de referência do petróleo virou um tema de potencial embate entre a nova presidente da Petrobras, Magda Chambriand, e a equipe econômica.

O preço de referência é o valor estabelecido pela Agência Nacional de Petróleo (ANP) para o valor do óleo sobre o qual incide a cobrança de royalties.

Ele é determinado por meio de uma fórmula que considera parâmetros nacionais e internacionais de preços de cada tipo de óleo existente no mercado mundial.

A ANP vem discutindo há meses internamente a revisão para cima desse preço de referência, que resultaria em um aumento em média de 8% desse preço.

Há uma base técnica neste processo: os indicadores internacionais apontam que o óleo brasileiro tem qualidade superior devido ao baixo teor de enxofre, o que justificaria um aumento do seu preço de referência.

O movimento ganhou apoio da Fazenda porque acaba implicando num aumento da arrecadação em um momento em que o governo enfrenta dificuldades para fechar o caixa.

O próprio ministro Fernando Haddad já conversou com o diretor-geral da ANP, Rodolfo Saboia, sobre o assunto. O Rio de Janeiro também defende o aumento e o governador Cláudio Castro também participa da operação.

As petrolíferas —Petrobras inclusive— por outro lado, são contrárias, já que o aumento reduz os seus lucros.

A nova presidente da Petrobras, Mgada Chambriand, quando foi diretora-gera da ANP era contrária a revisão do preço de referência e no debate atual também já se manifestou a fontes do setor com quem a CNN conversou contrariamente.

Autor/Veículo: CNN