Preço do combustível deve sofrer novo reajuste em Campinas após aumento médio de 5% no frete, diz Recap

Preço do combustível deve sofrer novo reajuste em Campinas após aumento médio de 5% no frete, diz Recap

O valor do litro dos combustíveis nos postos da região de Campinas (SP) deve sofrer novo reajuste nesta quinta-feira (6) ou sexta-feira (7), segundo o Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo de Campinas (Recap).

O motivo é o aumento médio de 5% no valor dos fretes rodoviários anunciado pelo governo federal nesta quarta-feira (5). O sindicato não soube informar a porcentagem repassada aos consumidores.

Aumentos diários
Mesmo antes do aumento relacionado ao frete chegar às bombas, os preços nesta semana já oscilaram para cima.Comerciantes ouvidos pelo G1 relataram altas de R$ 0,10 e R$ 0,04 no litro do etanol e da gasolina, respectivamente, entre segunda-feira (3) e terça-feira (4).

O motivo, segundo os postos, é a política de preços adotada pela Petrobras há um ano, com altas e quedas diárias.

De acordo com o Recap, desde o fim da greve dos caminhoneiros em maio, o valor do litro da gasolina e do álcool está cerca de R$ 0,40 mais caro. No caso do diesel, alta de R$ 0,30 no litro.

Nesta quarta-feira (5), o G1 percorreu cerca de 20 pontos de vendas de combustíveis em Campinas e o valor mais alto da gasolina encontrado foi de R$ 4,59. Já o menor valor ficou em R$ 4,17.

De acordo com a última pesquisa da Agência Nacional do Petróleo (ANP) – de 26 de agosto a 1º de setembro-, o valor máximo era R$ 4,399, e o mínimo R$ 3,979. O valor médio encontrado pela pesquisa do órgão federal foi de R$ 4,20.

No caso do etanol, o menor preço encontrado pela reportagem foi R$ 2,17. Porém, o mais caro foi R$ 2,89.
Na pesquisa da ANP, o valor mais alto encontrado foi de R$ 2,599, e o mínimo R$ 2,17. O valor médio registrado ficou em R$ 2,396, segundo a agência.

Alta nas refinarias
Nesta quarta-feira (5), o litro da gasolina já havia sido reajustado em 1,68% nas refinarias, elevando o valor para R$ 2,2069.

Apesar da alta, cada comerciante pode ou não repassar a majoração para os consumidores.

“O repasse [consumidor] depende de quanto subir na refinaria. Se subir R$ 0,02, nós não vamos repassar os R$ 0,02. Mas, se aumentar muito, tem que passar ”, afirma uma gerente de posto que pediu para não ser identificada.

Fonte: G1

No Comments

Post A Comment