A economia brasileira em 2021 amargou o menor valor de produtividade em 12 anos. O indicador pode continuar a cair em 2022, alerta Claudio Considera, pesquisador da Fundação Getulio Vargas (FGV). Estudo comandado por ele em parceria com as economistas Isabela Kelly e Juliana Trece, também da FGV, aponta que a produtividade do Produto Interno Bruto (PIB) encerrou 2021 em R$ 80.913,06, a menor desde 2009 (R$ 77.804,24).

Para Considera, a produtividade baixa não é culpa da pandemia, mas da perda de produtividade da indústria da transformação nos últimos anos. Mesmo que ocorram bons resultados em outros segmentos, como agropecuária e serviços, a indústria é o real “motor da economia”, afirma o economista, pois paga maiores salários, exige mais qualificação profissional e fornece produtos de maior valor agregado.

O menor patamar da produtividade industrial também foi confirmado pelos pesquisadores, no estudo. De acordo com cálculo, a ausência de investimentos em produtividade na indústria nos últimos anos levou o valor da produtividade industrial no país a atingir R$ 75.378,06, a mais baixa desde 1995 (R$ 75.333,35).

Considera defende investimentos pesados para elevar produtividade na indústria e assim impulsionar esse aspecto no PIB. Mas para isso ocorrer é preciso driblar o chamado custo Brasil, um dos principais obstáculos aos investimentos no setor, de acordo com entidades ligadas à indústria, como Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq) e Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee).

Considera explicou que os cálculos de produtividade foram elaborado a partir do total de valor adicionado da economia, dividido por pessoal ocupado, ajustados a preços de 2021. Isso permite comparações com anos anteriores.

Além disso, os pesquisadores revelam no estudo que outros segmentos da atividade econômica, que poderiam ajudar a compensar performance ruim do setor industrial, também mostraram resultado menor em produtividade, na passagem de 2020 para 2021. No mesmo levantamento, os economistas apuraram que o valor da produtividade na agropecuária diminuiu de R$ 46.709,55 para R$ 42.478,95; e a de serviços, de R$ 72.526,55 para R$ 70.238,59. Para ler esta notícia, clique aqui.

Fonte: Valor Econômico