Retirada de biodiesel nas usinas está menor do que deveria, dizem produtores

Retirada de biodiesel nas usinas está menor do que deveria, dizem produtores

Produtores de biodiesel reclamam que as retiradas do produto em algumas usinas em dezembro foram menores que o previsto nos contratos com as distribuidoras. Segundo associações do segmento, até a semana passada, as distribuidoras retiraram efetivamente 85% do volume previsto para o mês, arrematado no Leilão 76, de outubro. Em novembro, mês também englobado pelo certame, a fatia foi de 95%, que é o mínimo estabelecido entre as partes.

A Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) afirmou ao Valor que, em seu acompanhamento, as retiradas até 28 de dezembro foram equivalentes a 94,7% do biodiesel contratado. Assim, o número difere das estimativas dos produtores.

André Nassar, presidente-executivo da Associação Brasileira de Indústrias de Óleos Vegetais (Abiove), afirma que a projeção de aumento da demanda no país não se concretizou em dezembro, e que, por isso, as distribuidoras retiraram menos biodiesel. Segundo ele, a redução afetou o planejamento de algumas usinas e elevou custo. “A média foi de 85% de retirada, 10 pontos percentuais abaixo dos 95% de retirada mínima, previsto em contrato”, disse.

A situação é a mesma entre as empresas da Associação dos Produtores de Biocombustíveis do Brasil (Aprobio), que apontou média de 86% de retirada. Em algumas usinas, o volume ficou em apenas 74%, diz Júlio Minelli, diretor-superintendente, que reclama da “instabilidade” nas negociações. Em casos pontuais, houve retiradas acima do contratado, o que impôs uma ampliação da produção.

O Instituto Brasileiro do Petróleo (IBP), entidade que reúne as maiores distribuidoras de combustíveis do país, como BR, Ipiranga e Raízen, afirmou que as empresas “permanecem seguindo as regras do atual modelo de comercialização de biodiesel” no país, mas que aguardam a avaliação de novas diretrizes, com a evolução no modelo de leilões em estudo pela ANP.

As multas por falha nas retiradas, que estão previstas nos contratos entre Petrobras, produtores e distribuidores, correspondem a 10% do valor do biodiesel contratado multiplicado pelo saldo não executado do contrato acima de 5% por responsabilidade de uma das partes. No Leilão 76, foram arrematados 1,1 bilhão de litros para retirada em novembro e dezembro, a R$ 5,552 por litro.

Para ler esta notícia, clique aqui.

Fonte: Valor Econômico

No Comments

Post A Comment