Seminário da ANP destaca transição do cenário atual para o futuro dos combustíveis

Seminário da ANP destaca transição do cenário atual para o futuro dos combustíveis

A Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) realiza hoje (28) o primeiro dia do Seminário Nacional de Biocombustíveis e Qualidade de Produtos. O evento traz ao debate temas relacionados ao momento atual e futuro dos combustíveis fósseis e dos biocombustíveis.

A apresentação de abertura foi dividida entre Symone Araújo, diretora da ANP, e José Mauro Ferreira Coelho, secretário de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis do Ministério de Minas e Energia (MME).

Symone destacou os resultados do Programa de Monitoramento de Qualidade de Combustíveis do ano passado. Ao longo de 2020 foram coletadas certa de 76 mil amostras de gasolina, etanol hidratado e óleo diesel. As análises demonstraram elevado índice de conformidade dos combustíveis no país, sendo 98,3% para o etanol, 98,6 % para a gasolina e 97,2% para o óleo diesel. “O nosso interesse é avançar em novos modelos de monitoramento da qualidade”, disse a diretora.

José Mauro ressaltou a expressividade do mercado de combustíveis, considerando as dimensões continentais do país e suas diferentes realidades, e o trabalho conjunto dos agentes, governo e ANP. “Mesmo durante este período desafiador da pandemia, não tivemos falta de produto em nenhum ponto do nosso país. Este é um trabalho grande de todos os agentes, distribuidores e revendedores de combustíveis, mas também do governo e da agência reguladora, que monitora e permite o abastecimento, fazendo com que o combustível chegue ao consumidor final com a quantidade e qualidade necessárias”, disse.

Ele também citou os desafios do cenário downstream no Brasil para os próximos dez anos, destacando o contexto da transição energética, para uma economia de baixo carbono, que privilegia os biocombustíveis, mas também com a abertura do mercado de refino e os desinvestimentos da Petrobras, com a venda de oito refinarias. “Teremos um novo mercado no Brasil. Nessa transição para o futuro, é fundamental que nós, governo e agência reguladora, estejamos atentos para manter o abastecimento em todo território nacional, em prol do principal objetivo que é o consumidor brasileiro”, disse.

Foram apresentados no primeiro dia o desempenho do Renovabio, juntamente com discussões sobre os principais desafios para o aprimoramento do programa, com a ampliação da descarbonização no processo produtivo. Também foram debatidas as propostas para novas especificações de qualidade etanol e a redução do teor do enxofre gasolina para 10 partes por milhão (ppm). O gás natural e biometano e as demandas regulatórias para incentivar a ampliação destas fontes na matriz nacional para transição energética também integraram as discussões. Outros painéis apresentados foram asfaltos e GLP.

A revenda contou com a participação de José Luiz Rocha, presidente da Abragás, no painel do GLP. Hoje, Paulo Miranda Soares, presidente da Fecombustíveis, e Álvaro Faria, presidente do Sindicato dos Transportadores Revendedores Retalhistas, representarão a revenda nos painéis que discutirão o óleo diesel e biodiesel e o Programa de Monitoramento da Qualidade.

Para conferir o segundo dia do Seminário Nacional de Biocombustíveis e Qualidade de Produtos, clique aqui.

Fonte: Assessoria de Comunicação da Fecombustíveis

No Comments

Post A Comment