‘Temos que melhorar o ambiente de negócios, e não aumentar carga tributária como alguns propõem

‘Temos que melhorar o ambiente de negócios, e não aumentar carga tributária como alguns propõem

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), defendeu nesta segunda-feira que é necessário melhorar o ambiente de negócios para retomar o crescimento econômico no país, e não aumentar a “carga tributária como alguns têm proposto”. A declaração foi dada em uma live promovida pela Federação das Associações de Municípios do Rio Grande do Sul.

— Eu acho que é o único caminho que a gente tem para fazer o Brasil crescer. A gente precisa melhorar o ambiente de negócio, para o investidor voltar a investir, para o empresário voltar a investir, para o Brasil crescer. E não a gente ficar aumentando carga tributária como alguns têm proposto — comentou.

O deputado já se classificou como “radicalmente contra a CPMF” e disse que nenhum imposto nos moldes da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira passaria pela Câmara durante seu mandato como presidente da casa.

Desde o período de campanha, o ministro da Economia, Paulo Guedes, defende a criação de um imposto nos moldes da CPMF, que poderia incidir sobre pagamentos ou serviços digitais, como forma de financiar programas como a redução de impostos sobre a folha de pagamentos.

Questionado sobre a reforma tributária, Maia defendeu a adoção de um imposto sobre valor agregado (IVA), no estilo da proposta de emenda à Constituição (PEC) apresentada pelo deputado Baleia Rossi (MDB-SP).

— A nossa ideia é que a gente possa fazer um grande IVA nacional, respeitando a federação, respeitando a alíquota de cada um dos municípios. Nós estamos dialogando com os municípios, com a Confederação Nacional [dos Municípios], também com as capitais, que é onde tem mais conflito com a nossa PEC — afirmou.

O texto mencionado por Maia prevê a substituição de cinco impostos por um só, o Imposto sobre Bens e Serviços (IBS). Nesse modelo, os seguintes tributos seriam unificados: PIS, Cofins, IPI (federais), ICMS (estadual) e ISS (municipal).

— Eu acho que a unificação desses cinco impostos seria muito importante. É claro que há o debate sobre alguns que, em tese, pagam menos e hoje vão pagar mais, mas eu acho que a gente deve avançar no debate — acrescentou.

O presidente da Câmara disse que é necessário “organizar o sistema” tributando não os setores, mas os consumidores. Maia também defendeu que é injusto que os bens sejam mais tributados que os serviços.

— Não é justo que bens sejam mais tributados que serviços, porque o que os mais pobres consomem são bens, não consomem serviços. No futuro a gente quer que todos possam consumir — disse.

Fonte: O Globo

No Comments

Post A Comment