Três plataformas da Petrobras vão para leilão internacional em julho

Três plataformas da Petrobras vão para leilão internacional em julho

Petrobras informou nesta segunda-feira (25) que vai leiloar em julho, três plataformas do tipo semi-submersível que operavam na Bacia de Campos

As três sondas P-7, P-12 e P-15 do tipo semi-submersível serão colocadas em leilão internacional pela Petrobras. As plataformas operavam na Bacia de Campos. Petrobras vai transferir 937 petroleiros da Bacia de Santos para o Rio de Janeiro.

O leilão internacional das três plataformas da Petrobras está previsto para o mês de julho e acontecerá de forma eletrônica no site do Leiloeiro João Emílio.

Todas as plataformas que serão leiloadas no dia 09 de julho pela Petrobras não estão em operação. A informação foi divulgada no Diário Oficial da União, neste dia 25 de maio.

As unidades P-7, P-12 e P-15, que segundo consta no mercado, estão avaliadas entre US$ 250 mil a US$ 400 mil cada.

A unidade P-7 operava em lâmina d’água de 210 metros nos campos de Bicudo e Enchova Oeste. Já a plataforma P-12 operava em Badejo, Linguado e Trilha, com lâmina d’água de 100 metros. A P-15 produzia em Marimba e Piraúna, em lâmina d’água de 243 metros.

Em fevereiro do ano passado a estatal declaraou o interesse de se desfazer dos ativos, que estão se aproximando do seu fim de vida útil.

O edital do leilão ficará disponível no Canal de Negócios da Petrobras, clique aqui para mais informações.

Petrobras antecipa para este mês perfuração de Naru, na Bacia de Campos

Petrobras antecipou para este mês a perfuração do primeiro poço de petróleo do bloco C-M-657, na Bacia de Campos. A campanha será executada no prospecto de Naru.

O bloco foi arrematado na 15ª rodada pela Petrobras, em parceria com a ExxonMobil e a Equinor.

O navio-sonda West Tellus, da Seadrill, estava em Macaé, próximo à Ilha de Santana e seguiu para a locação ontem (21). A unidade passou por inspeção e manutenção de SPS (special periodic survey), permitindo assim que a campanha de perfuração seja antecipada.

A perfuração do poço de Naru poderá exceder em média 60 a 90 dias. Caso a Petrobras decida realizar o teste de formação na área, a campanha poderá de estender por mais 30 dias, ou seja, 90 dias além do prazo previsto pela estatal.

Fonte: Click Petróleo e Gás

No Comments

Post A Comment