As vendas de etanol realizadas pelas usinas do Centro-Sul em abril ficaram ligeiramente acima do registrado no mesmo mês do ano passado, puxadas pelo anidro (adicionado à gasolina) e pelas exportações, enquanto as vendas de hidratado (que compete com o combustível fóssil) ainda não se recuperaram. Os dados foram divulgados hoje pela União das Indústrias de Cana-de-Açúcar (Unica).

O volume total comercializado no mês ficou em 2,2 bilhões de litros, alta de 2,6% ante o registrado um ano antes. Do total, 735,6 milhões de litros foram de etanol anidro, 15,3% de alta. Já as vendas do etanol hidratado recuaram 5,5%, para 1,4 bilhão de litros.

Apesar de abril ter marcado o início da moagem de cana e da produção do combustível renovável neste ciclo 2022/23, a gasolina ainda foi mais competitiva nos postos de quase todos os Estados no mês, já que a safra começou com atraso.

Mercado aquecido

O diretor técnico da Unica, Antonio de Padua Rodrigues, observou que, “apesar da queda nas saídas de hidratado em relação as vendas de mesmo período de 2021, o resultado dos últimos quinze dias de abril indica um mercado aquecido com um crescimento de 2,5% nas saídas ante o volume comercializado durante a primeira quinzena do mês”.

Na avaliação da entidade, apesar da correlação com os preços da gasolina terem sido desfavoráveis ao consumo de hidratado até o fim de abril, o consumidores continuaram optando pelo etanol, o que mostraria “que a decisão de consumo não é pautada exclusivamente pelo preço, e deve-se levar em consideração os benefícios ambientais e de saúde pública”.

Ainda segundo Padua, em abril, “mesmo com um volume de etanol carburante comercializado inferior ao do mesmo mês de 2021, a oferta dos créditos de descarbonização [Cbios] oriundos do etanol foi 12,5% superior, tendo sido lastreados 2,04 milhões de CBios ante 1,81 milhões no período, conforme dados divulgados pela Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis”.

No front externo, as vendas registraram mais aquecimento na segunda quinzena do mês, resultado em volumes maiores no acumulado de abril. No total, foram comercializados 107 milhões de litros ao exterior, alta de 56,9%.

Processamento

Ainda segundo a Unica, moagem de cana do Centro-Sul na safra atual (2022/23) começou a ganhar fôlego na segunda quinzena de abril, com o início das atividades de mais usinas. Mas ainda está atrasada em reação à temporada passada. Desde o início da safra até 30 de abril, 180 usinas processaram 29,1 milhões de toneladas de cana, 35,8% menos do que no mesmo mês do ciclo passado.

A maior parte do volume foi processada apenas na segunda quinzena — 23,8 milhões de toneladas, queda anual de 19,7%. A moagem deve acelerar mais neste mês, já que outras 57 usinas estão programas para iniciar suas operações até o fim da primeira quinzena do mês.

O teor de sacarose também caiu, o que está colaborando para uma produção sucroalcooleira ainda menor neste início de safra. A quantidade de Açúcares Totais Recuperáveis (ATR) em abril ficou em 108,46 quilos por tonelada de cana processada, 7,3% inferior a um ano atrás. Para ler esta notícia, clique aqui.

FONTE: Valor Econômico